domingo, 1 de fevereiro de 2015

Soneto Inglês, nº 36 ("Hermético", à memória de Mário de Sá-Carneiro)

súbito rumor resvala um Prólogo às carnes,
em corda vaga e nela a Noite
às orfandades mais fala, escada Falsa,
 gira de tempestade  nas Portas.

A chuva que me Espaça faz delas tardes

um Credo, onde  escapes impensáveis
mais arfantes me chegam, súmula e Foz
do Invério onde em Revés a cor.

Pensei nuns sonos mais Fáceis,

que fossem rosto onde os prelúdios
estendessem Forças  no cais,
fulgência de sol Restante_____

Onde manhãs bem longe das tardes

setembro  Inteiro pelos olhos Todos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário