quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Soneto, n.545(Forma 3/2/3/4/2, para Luciana Moraes)

Meu sangue é assim CabeLÊira
dos aguaçais ariÔstos desembestando
montanha abaixo em corredeira

e como FLOR deixa perfume no Vento:
meu rosto NU só do teu colo anda

engomado, cambareCÊ de aquarelas
que vão por infinitos caminhos acordar 
outro dia_____ no entorno elas árvores 

aprendem a dizer teu Nome 
porque o ar zunzumuRÊja em cigarras
que mais disputam microfone com os
pássaros - amor foi desde Sempre 

este MAR_______ e multidões de mim-Mesmo
correndo Aguaranzado pros teus braços.

Soneto de véspera de Natal(Soneto n.544, forma 3/2/3/4/2, para Caleb)

Apertei botão mágico:
céus e terra Passaram,
no ar em torno pomba da paz

planou como um piano de cauda,
ninGUÉM sobrando vivo em Massada.

Espelho, cumPÁdi meu, 
tu não te cansas de me mostrar 
as sete damas que faleceram

e o CariRÍ finalemente abandonado
após desbraCÊI' assim trÔpego
do último pau de arara indo embora,
vamborandá, BorandÁ________

que o chuvarÉu não chegou,
sem mais quás-quás e ApelÊs.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

SoneTORÓ nÂmber 1(Soneto, n.543, forma 3/2/3/4/2, para Luciana Moraes)

Janelas d'Alma, do portão pra Fora:
poeta olha o céu e
num tem Lua pra chamar 

conhaque, depois de vir nele bonde,
ausentes ELAS, MariNÍna e a Esperança_______

lá fora(dos ZÓio e bem por Tudo em roDÍlha)
uns truvarÃo de lÔUca escola de samba 
em permeRÊi' dela Chuva,

os grazobÓrdio da grajaú fazem laMÊ
neles carros, ela artéria que vem jacarepagUÁ
antes do MÊi' já faz valetas sangrarem água, 
'guaranZÉU curuMÍneo a brincar de erê

pelo espaCÍU dos casebres morraRÉU em VÓlta:
mais um janeiro pras estaTÍstica' delas EnchEEEntes...

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Crônica do enterro andarolante(Soneto, n.542, forma 3/2/3/4/2)

EleanFÓrea tarrrde no antiQUÍssimo dobre -
homens nele bar Bigorna dão respeito e
voz-Silêncio ao carro FÚnebre a trautear

na esquina...eles homens
encompridam os olhos, reverÊNcia! - ao

longuesquife que andapÁra e recomeça
o jequiÃO de saracotear os outros 
que ali rente vão também morrerencendo

junto à BRÚtura matÉria encaixotada -
cujo sooopro já não AnoitecerÁ
com os demais aquele dia, mundo 
de átomos sem os olhos e o calor mecÂnico 

da Alma(________ que esta, n'Outro NÓ dela existÊncia
espera o dia mÊs e Hora do JUÍZO.

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Música Urbana(Soneto, n.541, forma 3/2/3/4/2)

A noite acorda de um jeito hoje
assim ver aves noturnas voando 
com areia nos ZÓio_______

sombra de nuvem ou lago
no Rorscharch que você NÃO diz

pro teraPÊuta entediÁdo, e o vento sacode 
a cabiLÊra das acácia'.
Anota aí turumbÉIM_______

descoroNHÊço o movimento das águias 
sobre as altas vielas dos Andes,
eu que me achava o cedeÉFE
no ensino médio_____ ô coisa BÔua

os áureos tempos dela Internet
ficção científica!...

Soneto, n.540(Forma 3/2/3/4/2)

Setembro parece que desPÍU pijama
agora neste domingo público 
dezembro oito de dezenove_______

Inás sorriem por tudo quanto é 
flor pelos pátios, farrucheRÍLdas

de XÊÊÊro... eu nem também deixarei 
de Olhar na praça aqui dela
Saens Peña: verdeRÚÚR de toda essa

folhagem me Alembra?? - Schubert!! -
e o frescor delas cançÕES escrivinhÁdas
por ele... é tudo arranjo
de se ver FLOR por onde a vista estique

elas pernas_______quizomba AndÁria
tão primavera Atrasada...

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

SonERÊturo-Estudo n.3(Soneto n.539, forma 3/2/3/4/2, para Caleb)

Intãão que - hoje CÔÔisa -
teve lua e conhaque,
e claro teve o cavalo

comovido como o diabo. Noite
um rÓÓr de guarÍNS, dentes graÚÚdxs______

e o cavalano - este que aqui vos fala
também não saberá responder  onde andam 
os anjos - aqueeles que Espineteavam

em cima do Café Palheta na Saens Peña -
porque "tragédia" em 1938
ind'era um gurinZÍ calça-curta(nem tinham
dividido o átomo...)_______

mas Hoje além de Amarildo,
tenho MUITO que chorar por ParaiSÓpolis.

Soneto Nublário(Soneto, n.538, forma 3/2/3/4/2)

Ilusão de sonho em cuja Esteira
a vida JAZ sem um segundo Z... - frase que
Pedrinho VIU, nele sabá

dos boitatás_______ todos eles
tenentes de um galão, dois galões 

"por ISSO o Peter Pan não quis crescer!" -
foi conclusão meio que Assim girassol 
trotando atrás do sol de todo dia________

Quer ver? Depois das barbas
o tempo é todo um NÓ de pauÍS-Ânsia,
e o rrrrrrr do Inverno se percebe longe 
mas tão Certo como Furna de cem bocas_________

as horas Ruem, tempo Perdido
se afobar.

Soneto, n.537(Forma 3/2/3/4/2)

Desse interLÚnio de elíssaras
trovejem Pontes: sobre os centauros,
sobre as cutias do campo de Santana,

chuva-Madre abarque os Ombro'
de NÓzes Tudo_______

todo o Complexo do Alemão 
que veja a Paaaz em vozes plenas
de Sêmpreres, girassóis EncanTÁrios

de novos céus, nova terra:
de Ofir as grandes barcaças importem
mármore, para as colunas do Templo,
ventos levem aos relógios NÓvulos Sons,

novas flautas______ e ogãs-Cubistas da Virgem
saÚdem o Novo Amanhã.

SonERÊturo-Estudo, n.2(Soneto n.536, forma 3/2/3/4/2. Para Augusto Guimaraens Cavalcanti)

Girassóis
retomam a dança
interrompida anteontem_______

é que ontem chuveRÊio em farrancho
guampou no céu dia todo,

inclusive na hora do velho Ferges
voltar pra casa na bicicleta pela grajaú
até a estrada dos três rios.

Anjos recolhem os ventos 
como roupas de um varal, nos cambaCÊS
delas nascentes as Iaras
se penteiam, satisfeiTÍssimas_______

ainda amanhã a linha do horizonte 
estará molhada.

Estudo Revisitaldo(Soneto, n.535, forma 3/2/3/4/2. À memória de Mário de Sá-Carneiro)

Volteiam dentro de Mim rodopios: existo
para assistir em Novelos o nascimento da
poesia, nas profundezas do homem_______

e AÍ colher no peito das árvores 
a seiva amiga das palavras - milagres,

ÚIvos, castelos, faróis -
onde os primeiros Três 
plantaram a Volta do pródigo.

No limiar das Esferas 
sorver o orvalho dos pianos
enquanto à espera da Musa______
que então virá dos braços da Estátua,

daremos Folga aos trombones 
enquanto Renasce o horizonte.


quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Soneto, n.534(Forma 3/2/3/4/2)

Os rádios ainda estragam
o reverBÉrio dos anjos, isso apesar 
deles refazerem as pirâmides 

enquanto o dia
calça luvas de Vidro.

Espero um pássaro de quatro folhas 
no embiruSSÚ das horas temporãs
que o vento traz em suas

ASAS______ grava teu nome, Sonho, 
no ebÓ das cartas feitas em Fogo,
ele-Evangelho que afaga a Lua
dele Horizonte com sete cores________

ruas Acesas, de cataventos
e mares-MÃES nas janelas.

SonERÊturo-Estudo, n.1(Soneto, n.533, forma 3/2/3/4/2, para Caleb)

Os tempos - passado e presente -
saÍram juntos
dela estátua de Pedra.

Na Tropicália o Manto da Apresentação
foi Ímã, pras Sete luas no céu_________

eu nunca mais fui a escola
e mais cantares d'Amor
na tarde preguiçosa________

bonde passa apressado
levando trocentas pernas que Nunca pensam
nos pianos Soltos nela planÍcie -
deserta de Almas - e por conseguinte

de ERÊouvidos que Ouçam______ é MAAAL
este troço de corpos que sÓ usam as pernas.

Soneto, n.532(Forma 3/2/3/4/2)

Impossível haver Circunferências
quando mundo Distóóópico
faz chover Quadraturas sobre elas casas,

e os bichos do campo
nunca mais fiaram minha roupa.

Estátuas de antigo mármore
brotam do chão já revestidas de mato,
ela-Flauta dos taquarais solfeja

novos sacis, peixes movem antenas
e os últimos vestígios do Dilúvio
retornam no Jubileu dos fla x flus -
pássaros bebem no sol de Julho

entrando Incerto nela janela Esquecida:
no entanto Ainda Nua num grande Abraço.

domingo, 1 de dezembro de 2019

Duas histórias de 500 anos( Soneto, n.531, forma 3/2/3/4/2, pra maninha Nemayda Karina, de aniversário)

No escuro de mata Funda
dia nasce com braços finos,
assim mininos

de cara Suja_______ ali faz tempo 
não passa bicho grande nem gente,

gente Então, boota Tempo... o sol -
eu disse - parece assim braços finos
como os garotos nos sinais de trânsito 

num todo dia de encarnar Miséria...
ao menos mata Funda não vê
esse Fartum de iniquidade Caseira,
tão ver-Brasil desde... desde...

que o avô do avô do  ele-AVÔ
era - também - CarvoÊro! encardÍÍÍdo.



Soneto, n.530(Forma 3/2/3/4/2, pra maninha Nemayda Karina, de aniversário)

Saber Antigo que não estava 
nas páginas da bíblia aberta no
oratório, no entanto a mim VEIO

como Vozes dos oceanos pretéritos,
como Sal por todos os lados, como

os sabiás e seus flautícios de Jade:
o semeador a semear Saiu 
e do horizonte São Viramundo tirou

os últimos cavalos da Chuva... foi tempo
em que manhattan era pontilho num
mapa, e a lamparina do Hóspede 
brilhava nos corações bem Mais que elas velas

que hoje eles altares Vomitam: quéééde 
Amarildo e seu Direito ao sepulcro, seus Putoooos????

Soneto, n.529(Forma 3/2/3/4/2. Pra maninha Nemayda Karina, de aniversário)

Manhã suspende eles guizos 
e os ossos do Minotauro, firo a terra
onde em Catende um bisavô foi

maestro... sob eles pés caminhões 
e as sete cores no céu 

junto das clâmides de urubus-REI
a tarde inteira entre ôs girassóis,
e SIM já bem andaram seis horas 

e o relógio anda escondendo da Chuva
os últimos cavalos, velho Ferges
trouxe ao rebanho de tubas novo Antepasto
quando ela tarde e a manhã embranqueceram

as CÃS, e a noite aponta os discípulos 
em procissão pra Emaús.

Soneto ao Pau da Bandeira(n.528, forma 3/2/3/4/2. Pra maninha Nemayda Karina, de aniversário)

Mas gentes... ele Morro
do Pau da Bandeira 
periga vestir paletó

em tudo quanto é favela_______
janelas postas em calhaus de

brufunturgências Renhidas de facas-Lâmina,
e cada infante Morto na traseira da kombi
só faz Piorar a situação_______

não dá Mesmo pra fingir circunferência 
quando só quadriláteros Solfejam
e as carnes negras Sangram até perder 
eles Dentes, e isso deeesde a Canetada

dela Princesa______ cuidado Pátria,
os Três tão vindo aí com Relho Triplo!