quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Soneto, n.309(Sonetesbéu n.3, pro compadre Sérgio Ortiz de Inhaúma)

Saranto Antorônio recolhe as árvores,
arruma a beira do rio:
às seis em ponto fará chover 
cascarvulhos de sermorões ensaiados 

pra ver se os peixes ensinam sânscrito 
aos homens. O amor que tive
foi do anel que me deste - depois 
que demitimos por justa causa 

os urubus recomendados pelo arcebispo:
era setembro, andei de bicicleta 
no grão-país onde estradas têm pernas 
que rodam pra lugar Nenhum____________

o vento varria as folhas, varria os terços, varria
as poucas ombras de amalinfâncias.

Soneto, n.308(Sonetesbéu n.2)

Tinha meus dez/onze anos,
nascera torto e mesmo andrinSim
era da raça do Eterno: um trechavão
desenterrado em Qunram

com molho de içás-Trombone era Certeza 
de nupcícias e castelontes que(num batismo)
no alto de meu quengo Fincaram__________
a Virgem, andando à perna bem Grande.

Depois depois houve trova, e caminhários
de sussurrar móres deuses querendo ser
Prometeu, enquanto um jazz rolorava
na primavera do que mais fosse Itabira,

hoje Oceano: pinoto as bolas de gude,
ladeiras perdem Cintura.

Soneto, n.307(Sonetesbéu n.1)

O sol num cumulário de Girassóis
antôntem carinhou planícies, mas hoje ela chuva 
desperta do sono 'prochegou cantorices
entre folheiras e flores 

do jardináceo - onde repousam pés,
esquina à casa de olhos Enormes 
que rumina abraços do Eterno e
não deixa de armazenar terraraços

onde oceanos mais Vijam_________
os anjos martejam xilófones
e o fim do tempo inda é
conversa compriiida__________

inda edifícios se Arriscam
num passaranho de Portelosamba.