segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Soneto, n.418(Para a amiga Tirza Rodrigues)

Saber morrer devia valer em Ouro seu peso. Isso os jagunço'
e Demais no cangaço manjavam Igual
pro-reitores de universidade pública:
"cabra-maacho Tem que sabê morRê",___________

ver carembÊs de quizombária Festança.
Mas hoje há MUITO nas Salas um rÓr de cinza
nunca ensinada a se escafeder -
plumas de Chuumbo regurgitando

a própria gravidade________ Quase-sol
de hortÊnsias gingando Ocas sobre os palácios,
impressão Lamentááável, com tinta Basta
ver cabeleira d'Iara__________

que por Sinal tá nos rios só Butucando
hômi que sabe e que não sabe morrer.

Soneto Arângulo(n.417. Para a amiga Tirza Rodrigues)

Na vida em que a gente morre 
há gente que n'alma-Dentro carrega
salas Desespelhadas - xelins de Arsênico 
avantajado nas mareúvas do firmamento 

das madrugadas de Chuva. É quando 
estrelas cadentes sonham Abolir a noite 
por nela não mais Caberem,
margem de nébulas e placentas a Cair

das pautas ou_________ peso a não mais caber
nas calçandrÁdas dos ouvidos.
Sonhamos rândoms e Íris na esperança 
que os trampolins Desenferrujem, mas

no bosque cigarras cantam de Ausência:
arÂngulos de estátuas abandonadas à Esbórnea. 


sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Ave Maria em prudós de soneto(soneto, n.416. Forma 4/8/2. Para ser lido ouvindo a "Ave Maria", para coro, de Heitor Villa-Lobos. À memória de. Kurt Kobain. À memória de Heitor Villa-Lobos. Pra Jessica Campos, irmãzinha)

Senhora dos silenciares e dos prantos,
dos acalantos e das lúrias onde Acaba o vento,
fim do que pensÁvamos ser Infinito 
e que é a Quebra do Encantário junto à rodilha

da fonte________ onde o jardim dela vida se Acabrunha,
servida Sejais de nos ouvir a prece deste Instante 
onde a brancura dos ossos faz rugir o Esquecimento
e os filhotes de leopardo choram o Encurte
de suas mamães e de seus Cronos_______ Rogai por nós 
agora que não esperamos ver retornar sobre Erebor
os tordos, e sobre Brasília os fruterÊmios mais ressequidos
nos Valseeejam um Rór de cérberos e infernos

ó Virgem Santa rogaaai por Nós cuja PasÁrgada
mais vige entranhas de Eterna quarta de Cinzas!

Soneto-Vergalhozinho(n.415. Forma 4/8/2. Pro Augusto Guimaraens Cavalcanti)

Quando se chama "tempo de absoluta Depuração"
ao tempo em que não se diz mais "meu Deus" -
AÍ Mêrmo é que fudidos estamos Todos, na irrequieta 
areia vergastarÁda por Trupicões____________

ou nas colinas onde à nevasca o vento 
paz alguma Concede, é tudo Intêêrro, moimento,
música-tema dos Flinstones que os condenados no Hades
ereouvirÃo ad nauseam - mulheres histéricas à porta 
de los Sentidos e vendo testemunhas-de-jeová subir por tudo quanto é 
parede, e cadeRê choroRÔ?? Cadê lágrima 
que reconforte elas Ânimas e à própria velhice
Seiva de patinadores Retorne????___________

mas não. Não. NÃÃÃO. O tempo é de não adiantar falecer,
nem nelas almas. O coração? Encanhéééstra.

Esboçoródio em Prelúdio(soneto, n.414. Para Jessica Campos. Forma 4/8/2)

É sempre no amor a mesma Ausência,
barro Amorfo de escultura,
ombro cavo-Nenhum, fantasma que avoa
capengando fuga ao vir bulir a manhã.

Um corpo largado à chuva descabriola
na geremário dantas de todo dia, sou EU
que em Jacarepaguá
me sinto Ausência: ela_________
de Tantra, de auríferos bonsais nos bolsos
rotos, de pular muro dos jardins vizinhos e isto ser Lindo, de conjumerÊr
as distâncias e me Rir, 'inda com dentes_________

é Sempre no amor a mesma ausência, barro
amorfo de Escultura, ombro Nenhum.

Soneto, n.413(Para a Jessica Campos, irmãzinha)

Era uma vez dez paláfeas, cabeças 
mais que decotadíssimas na capital
da Ré-pública, Mais amputada que os
modelins de dona Cocota Pereira,

inencantados como a morte que é viver 
sem estar Vivo, um carnaválio
todo ver-Turvo em toda mão, toda légua,
pedraço do grão-Cavalo que faz CAPUMBA!!

no espinhaço dos filhos dos homens:
quando eles drones põem suas estrovengas
pra Fora primeiro é tudo Amarelo
e mais dispois um mar, de cactos, daqueles 

mais Intratáveis: poalha, mesma morte
que davam pros negros no Capão do Bispo.

Soneto, n.412( Para Luciana Moraes)

Ninguém sabe se a manhã 
será compriiida, ou Difícil. Aquela roseira,
em pé, pode ser que não esteja mais
em posição de sentido como seu delegado

apostrofara, e Pai Francisco não tem Mais
seu violão, assim mesmo vai em cana, que
do jaburu donde saiu Monstrerê
saem três saem mil, manhã-Ninguém 

que se saiba a jandércias, e acácias
dos oboés carinhantes nos galhaus do Grajaú: MAS
gente Intranha esperança, dos nevoÓrios retorne
o Desejado, pra gáudio nos portões de Lisboa_________

mundo abrace os peixes, as nuvens,
nascer não será mais comprido.

Soneto, n.411( À memória de Nise da Silveira. Para Jessica Campos. Forma 4/8/2)

Quadro à óleo sacado à Esmo ali
do nise da silveira: fundo são dois azuis,
um naco em marrom como terra,
com fome de ressurreição_________

três tartarufos alados montados por tehilins
com cântaros às costas, goles de nuvens
aqui ali feito pequenos luminares
de algodão-Puro, enquanto as estrelas dormem.
Há mais um gândio-profeta, também de branco
mergulhado no Oceano das retinas,
havia espaço pra neve mas o artista a esqueceu
num dos bolsos do paletó que ficou no quarto__________

por último, sobre roxa vitória-régia, um berço,
anunciação: por cima balooouça uma Espada.

Soneto, n.410(Para Luciana Moraes. Forma 4/8/2)

No tempo das máquinas de escrever 
eu pensandava no mundo
além dos muros do quintal. Havia
um morro onde no fundo

os molecotes brincavam, ao pé e corpo
dum túmulo DESnomeado pela passagem irrecorrível
dos seculóruns________ um anjo voeja
em torno da lampadosa, ouvido Esquerdo
afeito aos pundonores do vento,
às mesas de bilhar, aos botequins do Encantado,
aos ramerrões das lavadeiras que andam de
bicicleta, como em 1915__________

São Mármaro refaz as contas, e os elefantes:
imprescindível Mais linhas retas pelas janelas.

Soneto-Erêstudo, n.3 - "Cinzúnio"(n.409)

Onde se estaboam ele-Fim e o princípio 
aurora-Ausência é coletiva, a muitos restando
apenas a estrarÁdia(espalmada)
na direção dos Infernos__________

o espírito que as gerações preside
augura Abismo aos candelabros - que outrora fortes -
agora junto às fontes se Despetala,
pó de cancelárias eternidades

sem pães e sempre às costas do Hóspede,
profeta que a turba pátria ao precipício
eresColta, aos gritos mais eletrônicos,
espadanados como só um navio no jardim 

choraria_________ há Muito perdi o chavÊro
que as portas das celas Abririam...

Soneto-Erêstudo, n.2(n.408. Forma 4/8/2)

Outono desboqueia pelos meus galhos,
desce a ladeira das folhas: dentes bandeiras,
bulhós-Essência, porque escondeis vosso rosto
enquanto a máquina do mundo 

guarda nas sombras milhões de bocas
e passarada sem Bulhas(transfigurices
de magorões com jeito de Finis mundus)?
ninguém te Respira, brisa-Elã de Emaús.
Um homem se arrosta em pé contra os
abismos, São Mármaro - também pássaro, e Profeta -
tarântulo procura fresta por onde ponha
nas Cinco Salas do povo alguma curimba

de Páscoa________ chamou a todos:
só lhe ouviram a melodia das palavras.

Soneto-Erêstudo(n.407)

A alma - livremente encarcerada -
encontra árvores e floridões navegadas
nunca dantes, isso apesar de urubus
a tarde inteira entre os girassóis________

incânduo o abraço da musa
mesmo entre aviões intransponíveis:
arcanjos tentam solver o eterno encantamento 
onde esferas e cubos cantarolam,

e o mundo é pequerruchício
pra tantas asas de partituras,
não haverá mais trampo
pra oradores e pernilongos de batas_________

Os Três desavestruzam as Cinco Salas
de todos, o tempo candear-se-á em não-Ser.

Cantiguêra Giróptera, n.1(versão soneto, n.406. Forma 4/8/2)

Olha... ChuvÊu nas Íris que eram o Canto
do meu rastreio - manhãs por breve espaço 
a coisa Linda que me apareceu,
mÊnstruo Rubro aliciado

às gotas chuvÓrias e nova Gira em torno do mesmo 
sol que me viu no Méier o primeirão chorare -
a mãe vestindo o branco mais fúlgeo__________
mesmas Íris são listas de Som, galopeiam
mungurejando a Volta do Cristo,
e sobre o monte ardem candeias mais o retrato da Frida
apascentando erês-Olifantes, manguaçús
do numeroso meu Canto__________

terceira porta às esquerdas, o mar
me alembra seus bilhões de aniversários.

Soneto em forma de Catecismo(n.405)

O Criador são Três e apenas um terno pendurado 
por detrás da porta. Três vezes por dia 
no tempo sem calendário Ele botava ração 
pro mostrengo, que depois dos dezoito aniversários 

foi posto no Fim do mar, e lhe deram
mais setecentos dentes adicionais - pra mode Istrompá
o futuroso cabÔco - hômi dispois da cobra
e da árvore da Ciência que fez os Três 

mexerem no sótão________ e a espada de fogo 
APARECEU - 'pareceu tumberéim mais milênios depois
no poema da terça-Gorda
que o poetão Manuel no Carnaval ponharia_________

houve tarde e manhã no alto do Corrupio,
e pelo pé do pinto a historiÊnga termina.

Fichário(versão soneto, n.404. Para Luciana Moraes)

A rua é dos cavalos marinhos e Fica 
na pólis onde há tempos elas francesas
eram polacas e inda havia bois - reis da cocada -
no descampÉu onde Acima é Santa Teresa__________

o prefeito do edifício esplendor 
rompeu relações com o dia,
anda nas bérras levitarando a pança -
nada secreta - e cheia de olhos

como elas rodas de Ezequiel.
Enquanto isso é Núbulo o céu e o pátio 
um estar entre o chão e as parábolas
do Reino________ rua dos cavalos marinhos 

e de mármores onde corre água Antiga,
atééé depois dele Sempre.

Soneto, n.403( Forma 4/8/2. Para Caleb Baltazar)

Trem que passa é preterÊnso aurifício___________
lá fora há dez cidades sem nome,
Último Elâncio do Brasil. Não me procusto
aos dentes Verdes à espreita, jussÁrios

cuspindo Pleús de alumínio. O poeta
anda com as pernas 
fora dos bolsos, Incontinência que antes era
privilégio dos edifícios, hoje treVura
de céu cadente e sol Posto. Os lábios 
serão metÁforos a dar com a vida na areia,
suor e amor que me SAI aos Esturros
de trem que passa com discurso Irreparável__________

finale múndus?? Eis serafins, comparecem
montando Ordálias Enormes.

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Sonêtcho ali no Mocó(n.402. Para Luciana Moraes)

A fábrica é escura como o resto do subúrbio.
O sino toca e o som Oleoso berra
através das poças, pombos Tripudiam em cima -
crianças sem olhos sob um sol Desgasalho,

medo maior que Dolores sem trompas 
e sem Futuro por isto: medusas passeiareiam
sobre a presidente vargas -pediram asilo
após Romperem com o chefe político e terem

as cobras postas a Prêmio. Olôr de horÁcia
e valsêlhas já não ternárias, tempo é velho 
dormindo em cadeira Imprópria, mau CussuÍm
no céu da pátria neste instante_______ fora

do plano-piloto é Tudo subúrbio:
caprichÓ dos espinhos e bocarRões Cancarados.

Soneto, n.401(Estudarânho n.1. Dedicado ao Sérgio Ortiz de Inhaúma)

Era o retrato do velho tranceneJado
entre acordes Inacreditáveis do Villa-Lobos 
pondo em Fuga todas as barbas amargas
e o "esparrÂma!" dos toalhÉus jogarados sem

LUTA________ a boa-nova plantarescida
em Sacopenamã e mais Além:
mulheres vivem de Novo, Acerendendo eles seios
e masgandrando os últimos escorpiões 

escondidos_________ ver Irajá Turiaçu InhaÚma:
meu parcerão Sérgio Ortiz também montando 
dálias gigantes enquanto os maus exus fogem
gritando, que apesar dos urubus nos jardins 

quando a Manhã Bracejar Ferreira Chico e ele
Bento IRÃO VOLTAR na jangada - Evoloruêêê!!

Grão de Arcabuz, n.11(soneto, n.400. Forma 4/8/2)

Um dia a noiteLêra é mais crassa,
eu quiNariamente esqueço o asteróide A-597
e dou cumÍgo em Ouro Preto, onde as toucÊras
e os doidos dão-Se os pés, lugar que é Meu,

ver itabira plantada em cada esboço 
do Inconfidente Antônio Francisco Lisboa________
e as madrugadas murmureRêjam mulheres 
de lamparinas acesas no meio dos seios
e num repente Inté o Caraça canta de sabiá
isso apesar do témer e de Deus permitir 
que elas mães vão-se embora - inda ArrepânHo
marÚpios de elevadores a abrirem rostos 

pro Novo Tempo________ e nunca Mais o tiozinho
com medo matará o leiteiro.

Grão de Arcabuz, n.10(soneto, n.399. Forma 4/8/2)

No cosmo do jardim tudo é Relume
se você pensa no ano de 1920, inda não tinha
a Bachiana n.8 que é o mesmo númbero
do dia em que o Méier me viu pela vez-Prima,

e é talvez minha Bachiana favorita.
Tempo de flautas e pracetas régias 
onde bebês arquivados em carrinhos 
esperam o momentórium de ouvir tocar o Guarani
e os carrinhos são mesmo alemães, enquanto isso 
demônios Pécuros vestindo antanho jogam
adedanhas que o marcenÊro desconhecIa -
junto das putas e do algodão-SeridÓ__________

neste jardim Serapiões comparecem, e eu
tiro as botas, descanso as pernas gigantes.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Grão de Arcabuz, n.9(soneto, n.398. Forma 4/8/2)

Nele sertão do caicó está toda a tinta
que sobe ao céu feroz bem vermelha,
bem sangue e assim mesmo ele céu
do currió padim Ciço parece 

um trole sem Asno_______ passam murós
e mulheres tão descatÊmbrias que se Picasso visse
não fazia o soviéte, e seu Naúm nunca chispava
de Odessa pra abrir venda em Botafogo:
este poema virava as dálias da Ira
e as mãos de cem Curimãs, o poeta
em pleno mês de porcelana, mas sem manhãs:
minino vai lá pra dentro 'panhar um tasco de banana

prÊu acender o charuto_______ ela canção 
cantada por si-Mesma num banco de jardim.

Grão de Arcabuz, n.8(soneto, n.397)

Eu quero ranchêr agosto e nele
a mariola da criançalha curriolando
as pipas nerÊle céu_________
musício o som do farfalhar delas

árvores, e tudo marche: arquitetura 
de cães mijando nos vigésimos Dares
e Isso ser Lindo, porque parentes da bola Wilson
que segurou a Esperança do náufrago - pois foi Inverso

da rio branco em quarta feira de
lixêra e cinza________ eu quero Ranchêr agosto
e os oboés falarem da vida eterna 
açambarCada na mesa do Hóspede_________

quero ranchêêêr agosto: o pássaro-Profeta cantar
e os homens ouvirem MAIS que a melodia.

Grão de Arcabuz, n.7(soneto, n.396. Para Luciana Moraes)

Segunda epístola dele São Mármaro aos
cátaros, 'pitúlo três verso primo
e sequentes: todas as festas Inúteis 
os mortos as Perturbarão, que os ventos 

candongam penas de massa Viva apenas
aos que gramarem pássaros em suas
carnes e espíritos__________ e ricerçarem
tudo sobre ele Nada em vestes de lírios do campo:

que - Sinfonício - vos lembro: nem Salomão
em todo olÔr de sua glória gozou
efós mais celestes_______ tod'ela Aurora, quer seja
obesa ou graúna, seja Nascente_________

onde o princípio e o fim forem Coito
a terra enfim será talhada entre Todos.

domingo, 12 de agosto de 2018

Grão de Arcabuz, n.6(soneto, n.395. Para o Leonardo Marona. Forma 4/8/2)

O fato inda nem bem cabou de peidar
e já veRêm no jornal - pra nos lembrar 
que rio moroso o mundo há muito 
n'é mais - viva o lunário(!)

do conengúndio delas almas piratas! -
sem azerêite nas lamparinas que faltam,
sem pés de cidade edificada sobre o monte
com portas Sorrindo aos pobres
e leite leite e mais leite pros menirinos 
zés-cururús que jamais cheiraram Roberto Piva
ou tocandaram ganzá na sinfônica do
Maranhão_________ à Esmo desescadamos

e o que era xêro de nós - trêmulo, podrÍdo,
em desamarmos tanto eis-Nos Morridos.

Grão de Arcabuz, n.5(soneto, n.394. Pra Jessica Campos, irmãzinha)

Na pancaDárcia do ganzará
teobaldos à beira do açude sugaRRancados
de todos os capilares_______ lacoOronte e as
mesas circularóides em cujas testas

o modelito do terno - urubuRús
à tarde inteira afrouxarando as gravatas
enquanto a carta escrita com letras difíceis
foi posta sem noves-Fora e sem selos

na sede do correio em Altamira das Almas:
não mais vos peço meu Deus aqueles 40 pontos
que me aprovariam no ginásio à matemática
mais úrsula de pedras Afiandaradas________

guaraciabas e erês_______ rio lá embaixo inda caga,
e no entanto Inda pra Intensos carnavais me Chama.

Soneto, n.393(Forma 4/8/2)

Minha terra tem tranceNêlhas malsãs
que para além de Perdidas
no sem-Retorno do tempo inda grameJam
cinguridades pelo azul cada vez mais 

sem Carnes do firmamento_________
o grande pássaro é visto mais Curto 
mas segue impondo nos homens
o aviso: "inda quarenta dias 
e Nínive será Subvertida" - não há na terra 
um só cabrunco de miserere nas Salas
que abrace os peixes, Renasça,
partilhe ao pobre antimundo os pães e o vinho

do Hóspede________ pra nossa Má sorte
os cavalos bebem Toda a Tempestade.

Júlio César número 387(versão soneto, n.392. À memória de Anne Sexton e Ana Cristina Cesar. Para Adeivan Ferreira, mestre)

Sala do castelo em Bangu tem paredêmias 
rosadas, e a voz do Roberto Piva montando 
um Iberonte castanho, mais três ventiladores 
com línguas Ciliciadas.

Retratos de reis antigos não tiveram paredes 
nem porões pra Morrer, não há espelhos 
que Saibam do Victor Heringer - mas há teresas batistas,
DezeresSéte - sem jangadêro no fim, -
muito Cansadas das guerras que não couberam 
num século, cristais e reposteiros das Cinco Salas
sob neblina e mastros que gesso algum dará Jeito,
horas de mantos e catarinas Puídas_________

e Míris de abutres machos a tarde inteira lá nos
jardins. À Espreita.


*(OBS: forma 4/8/2)*

Bossa n.35(versão soneto, n.391)

Entonces bora, mater-Ebúrnea________ ao fim
tão noite Andária em corifeu pela minh'alma 
adentro e mais gravetos de somálias chuvas
(os bós-mandacarús tão Magros!)

e casarios de cocurutos brancos sobre o verdúm
do arvoredo que inicia ao final 
dela Cerca: esqüela Ináquara porque te disse 
não-Chuva, mundéu por breve espaço 

de tempo________ todos avós sangraram dentes 
quando aquarela pariu 'quele Cinza
outrora pelos profetas 'Nunciado_______ e o povo,
malmequer Esquecido, não Viu que ela noite 

era o mistério do mundo,
e o tamanho Disto.

Mais Visões de São Mármaro(soneto, n.390)

Noitêra inteira choveu sobre a vigília dos cães,
só o Cumêço, 'sta ranhência: os Santos 
não malungueiam querêtaros,
nem fuga à frente do Inverno_________

o dragarão da Maldade eis se levanta pelas areias 
de Ipanema, povoléu mata as árvores azuis
e o Nome de Marielle, renque dos Carapús
vem mais Quebrêra porque Deus-Três assinô,

restando aos atabaques traçar os rumos da Pêia,
viraram Númismos os últimos filhos da pátria,
inês-Guaçú peida carnésias, más catiras da Besta
cuspida com fogaréu delas gavetas da vênus

do Catalão________ AI destas Cascas de gente 
'darandeando sem Óleo nas lamparinas!!

Sermão de São Mármaro(versão soneto, n.389. Escrito na forma 4/8/2. À memória de Olivier Messiaen, e seu "Quarteto para o fim dos tempos")

Assim será o ganzaralho
do finis Múndum_________ som troante
ver deuses que o mar engole em grupelhos
de dez - no Cosme Velho se vê mais NÃO 

os ombros e suvacos da Estátua, entressombras
dele arvoredo foram-Se embora em meio às
burumbas, aos lunários de Momo. Faz tempo 
que o Deus-Minino ouviu cantar o minueto
do boi, e beatos Santêros
tinham boca pra chamar o Vento. Eu:
criança noutro trolintrOncamento
neste candiá não tenho pássaros-Hora__________

as quatro Bestas me dizem "Behold!!" - eu zóio:
por Tudarããão é só o cavalo Amarelo.