domingo, 1 de fevereiro de 2015

Boi Morto (Soneto Inglês, nº 46. Pra minha irmã Laura Pires)

Meu lado esquerdo  anda  Espaço,
Issá  clareira  onde folgadamente
esse terceiro dia. Porém boi morto ele-Deus,
e jaqueline sepulta é mais bonita

que os anjos. Pelas encostas

desvestimento:  altares, velas ofícios
porque mais homens mastigando espingardas,
já não direi Passarinho.

Da nuvem grossa de raios um minotauro

sobre os cabelos das árvores, mais boi
todo Espantosamente. O resto é nada,
fogueiras na Cidade do Samba.

Meu lado esquerdo era espaço,

não tem mais Onde esse terceiro dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário