segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Quermesse(Soneto, n. 220. Para a querida amiga Tatiana Pequeno)

Quermesse: tropel de louça quebrada,
os vãos bracinhos a pedinchar automóveis,
enquanto - cérbera - malvada bruxa
amontoa num palco os corpos nus_________

são Ningueréns. Ou melhor, foram,
cubistamente Distronchos desque vieram,
não consultados, em grupos de mais de cem(surripiados
no desembarque de quaisquer direitos ao Sol)

e assim crescêro até virarem mulheres
de couro sépia em fundo sangue-Merdoso,
parindo bácuros(não consultados também) 
de cor verdêje-Morrente, culpa da bruxa_________

que tem coturno e nome(TÔRVO) de hômi,
Gentileza falou dele nos pilastrérios: CAPETALISMO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário