segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Soneto, n.310(Para Sarah Valle)

À beira de meu copo
noite Alta mostra os guarís, 
carrossel gasto 
deeesde ela Casca__________

vejo um planeta ascender
sobre as cabeças de concreto,
róseo dos gases veste zés-Clóvis
que passam no jornal das oito, terra

onde ninguém Jaz, rios por onde 
os gadanhões da samarco andaram,
e por Isto o efológio
não vem vestido de caixão _______

à beira de meu caneco um rio Eufrates
morto com farofa - em Cupiiins, desde ela casca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário