quarta-feira, 27 de julho de 2016

Descalabrório zé-carioca(Soneto, n. 205. Pra Naiara Campos)

Paz e virgulências de Primavera -
era pedir demais aos santos já carregados
de gente desesperada na fila do souza aguiar,
urrando pela vida dos filhos__________

por isso desisti da Pedíncia, sabendo mesmo
que há jardins embriagados de cinzalha triste
por onde corram meus olhos, um resto é mar
de todo um povo Abandonaldo, Fudido

e mal-parado à luz do céu profundo, coisa de
nem São Mármaro tirar milagre da manga,
ou auroras que detrás dos quintais
fulgissem uns arrepanhos de Manhãs________

no Corcovado a Estátua 'rrepiou carreira,
deixou bilhete na pedra: "e CADÊ AMARILDO?????"

Nenhum comentário:

Postar um comentário