sábado, 28 de fevereiro de 2015

Soneto, nº 125 (Muriliana, nº 2. Pro Marcos Nascimento. E à memória de Alan Souza de Lima, de 15 anos, assassinado por policiais na favela Palmeirinha, Guadalupe, zona norte da cidade, em 21/02/2015)

Sobre a cabeça vislumbre dum céu de Cromo,
de aqui-Chegançália: tiros sobre a cidade  -
espetalada, Partida. Os anjos verdes do Mal
montados sobre homens Trelentos,

feitos de hissopo e náusea____
multidão ver boiada a passos largos
pro Abismo. É noite,
por Tudo faz noite.

Os jaraguás Caporãs sumiram nos socavões
temendo escuréus que massacraram
o último sopro do Cristo nos corações
agora sízifos dum pluri-Enxofre_____

beleléus Capiróticos mungubam samba
dos Quintos, gritando a Breca do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário